06 dezembro, 2008

Escolas iniciam atividades contra Aids

Estudantes de cinco escolas estaduais se reuniram na quadra esportiva do Colégio Nossa escola,em Aracaju, no dia 21 de novembro, para participar do Programa Geração sem Aids. O evento faz parte da programação alusiva ao 1º de dezembro, Dia mundial de luta contra a AIDS e consiste em abordar, de maneira lúdica, o tema da prevenção às DST/HIV/Aids, utilizando uma linguagem juvenil para a construção de um espaço de diálogo entre adolescentes, professores e profissionais de saúde sobre a sexualidade humana e os demais temas relacionados à adolescência como a família, a violência e o uso de drogas.

O programa teve duração de aproximadamente 5 horas, animado por banda de música voltada para o público estudantil das diversas escolas integrantes do Programa “Saúde e Prevenção na Escola – SPE”, desenvolvido há mais de cinco anos em ampla parceria entre as secretarias de Saúde e Educação das três esferas de poder, a Sociedade SEMEAR e o Instituto Recriando.

Quem comandou a apresentação do evento foi o ator Pierre Feitosa, declamando a poesia de Gonzaguinha “o que é o que é?” na abertura. O evento foi dividido em dois blocos de entrevistas. O primeiro bloco consistiu nos temas: participação juvenil, drogas, saúde e prevenção nas escolas, em que foram entrevistados: Márcia Cavalcante, coordenadora do Programa Nacional Saúde e Prevenção nas escolas (SPE), a estudante Taluana Santana, protagonista juvenil do SPE de Aracaju e André Calazans, membro do Programa Redução de Danos. O segundo bloco trazia o tema: Vivendo com Aids e foram entrevistados o Dr. Sérgio Agnaldo, infectologista do Serviço de Atendimento Especializado (SAE), e Guedes Daniel, soropositivo.

“Gostamos muito de vir até aqui para tirarmos algumas dúvidas, é um espaço diferente e é realmente necessário para o nosso crescimento e aprendizagem.” , disse Taluana Santana quando questionada sobre o programa. “Foi realmente uma tarde muito proveitosa e enriquecedora” avaliou Almir Santana, responsável pelo programa estadual de combate à doença.
Por Janaína de Oliveira

3 comentários:

Anônimo disse...

A segunda frase do primeiro parágrafo poderia ter sido dividida para não ficar tão grande.

E no terceiro parágrafo não precisava ter repetido a palavra "bloco" tantas vezes.

Diógenes de Souza disse...

Gente, mas o povo só vem aqui falar mal dos textos? Meodels...

Diógenes de Souza disse...

Gente, mas o povo só vem aqui falar mal dos textos? Meodels...