25 maio, 2008

Olimpíada incentiva jovens a pensar no futuro das águas

Qual a importância da água no processo de mudanças ambientais? Esse é o questionamento que estudantes das redes pública e particular de ensino fazem durante o mês de maio, na 2ª Olimpíada Ambiental. O evento, organizado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), traz na edição de 2008 o tema “Mudanças climáticas, água e vida”.

Iniciada em 28 de abril, a Olimpíada Ambiental incentiva a conscientização da juventude, por meio da criatividade. Estudantes do ensino infantil ao nível superior que participam do evento optaram por três modalidades na inscrição de trabalhos: ciência, arte ou produção de texto. Os professores participam de uma modalidade especial, na criação de projetos pedagógicos que incentivem a aprendizagem em sala de aula sobre a importância vital da água. As inscrições foram feitas até o dia 21 de maio. Os trabalhos devem estar diretamente ligados ao tema da Olimpíada: o impacto ambiental causado pela alteração no ciclo das águas.

O aumento da temperatura das águas, em decorrência do processo de aquecimento global, é uma das grandes preocupações desse início de século. Cientistas discutem o futuro do planeta e as possibilidades de catástrofes naturais causadas pelas mudanças ambientais. Exemplos locais recentes, como o rápido avanço do mar sobre a Orla de Atalaia e as enchentes que assolaram os municípios de Maruim e Laranjeiras no último dia 10, podem ser conseqüências do processo de destruição ambiental.

O evento

No total, foram inscritos 1.581 trabalhos de alunos e 74 realizados por professores. A coordenadora da Olimpíada, Valéria Lima, explica que houve uma mudança em relação à contagem de inscrições no que diz respeito aos trabalhos realizados em equipe. “Nesta edição, para inscrever uma equipe, só é contabilizado o nome de um único aluno, enquanto, em 2007, todos os participantes de um mesmo time entravam na contagem final dos inscritos”, esclarece a coordenadora. Na primeira edição da Olimpíada, foram inscritos 2.728 alunos e 94 professores.

Outra novidade é o aumento do número de trabalhos premiados. Na primeira edição, foram premiados apenas os melhores trabalhos em cada modalidade. Este ano, haverá uma premiação exclusiva para cada segmento das modalidades – em vez de se premiar o melhor trabalho em ciência, por exemplo, serão premiados o melhor artigo de pesquisa, o melhor cartaz e a melhor maquete. Os participantes concorrem apenas com outros estudantes do mesmo nível de ensino.

O estudante do ensino fundamental, Fernando Santos, diz que está animado e ansioso para ver o resultado final. “Quero vencer, mas se não for dessa vez, já valeram o esforço e o aprendizado”. Já o aluno do ensino médio, Douglas Silva, diz não ter se interessado pela Olimpíada, e considera que resultados expressivos são possíveis apenas com projetos contínuos de conscientização. “Tenho certeza de que muita gente só está interessada no prêmio”, afirma o estudante.

Os trabalhos serão avaliados por uma comissão julgadora, selecionada pelos organizadores do evento. A seleção dos melhores trabalhos será feita até o próximo dia 30º de maio. Os melhores trabalhos serão premiados com uma caderneta de poupança nos valores de R$ 500 para os alunos e R$ 1000 para o professor que apresentar o melhor projeto. A cerimônia de premiação será realizada no dia 05 de junho, com a entrega do troféu Manoel Dionízio Cruz para os vencedores. Agricultor do município de Poço Redondo, Dionízio Cruz sensibilizou a população local para a preservação do meio ambiente. Embora tenha sido assassinado em sua batalha contra a destruição da natureza, o troféu que leva o seu nome não deixa dúvidas: a luta continua.

FOTO 1:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Imagem:Water_droplet.jpg

FOTO 2:
Trabalho vencedor da 1ª Olimpíada Ambiental – Modalidade Arte, Categoria Ensino Médio
Sillas Moraes da Silva – Colégio Estadual Atheneu Sergipense
Foto de Acrísio Siqueira


Links relacionados:

Site da Olimpíada


Universidade das Águas


Por Fernando Pires

2 comentários:

Rafa Aragão disse...

Que matéria legal de se ler!! Parabéns ao repórter, informações importantes, sem "encheção de linguiça", e muuito bem escrita!! Continue assim, Fernando, continuarei sempre lendo suas materias.

Dijna disse...

Muito boa a matéria! Parabéns ao repórter!